no-style


BEBÊ ALAGOANA QUE RECEBEU DOIS CORAÇÕES ARTIFICIAIS, RECEBE ALTA APÓS TRANSPLANTE



Seis paradas cardíacas e quatro meses vivendo com dois corações artificiais são partes da história de superação da pequena Lorena Torres, de apenas um ano e quatro meses. A menina, que foi diagnosticada com uma cardiopatia congênita, passou por um transplante de coração em abril deste ano e foi liberada, nesta sexta-feira, 20, para voltar para casa.


A tia da pequena guerreira, Vanessa Carla Farias, informou ao Alagoas 24 Horas que após oito meses e 11 dias internada, Lorena sairá do Instituto do Coração (Incor), em São Paulo, e ficará, com os pais, hospedada em casa de parentes no estado.

“Lorena passa bem. Realizou o transplante no dia 07 de abril e hoje foi liberada. Ela está indo para casa de nossos familiares em São Paulo e voltará para Maceió em breve, se Deus quiser. Lorena vai continuar em São Paulo alguns meses devido as consultas de revisão”, informou Vanessa Farias.

Diagnóstico e Tratamento

Aos seis meses de vida, a mãe de Lorena Torres, Larissa Monique Farias, percebeu que havia algo errado com a criança e resolveu levá-la a um hospital de emergência de Maceió. Após exames de Raio-X, os médicos perceberam que a menina tinha o coração aumentado.

A bebê ficou quase um mês internada na UTI em um hospital da cidade, mas os médicos não conseguiram descobrir o problema da menina. Então, a família foi aconselhada a viajar a São Paulo e procurar atendimento no Incor, hospital de referência do Brasil. Lá, Lorena Torres foi diagnosticada com uma doença rara.


“Ela chegou a São Paulo em novembro do ano passado em  estado  gravíssimo e já foi internada. Lorena estava com os dois ventrículos comprometidos e foi constatado que a única solução seria o transplante. Enquanto aguardava o doador, foram implantados dois corações artificiais de uma vez só, no dia 05 de dezembro de 2017. Esta foi a primeira cirurgia realizada no Brasil. Foi muito sofrimento. Os pais tiveram que largar tudo em Maceió,  família, outros filhos e emprego para acompanhar a pequena Lorena em uma cidade que nem conheciam. No hospital, foram dias tensos, de muita ansiedade e muitas vezes desesperadores, mas Deus sempre esteve presente” disse Vanessa Farias.

Contando a história emocionante e inspiradora da pequena Lorena, Vanessa Farias visa conscientizar as pessoas para a importância da doação de órgãos. “Existem milhares de pessoas aguardando na fila de transplante por uma nova chance de viver. Foi através de um gesto nobre que Lorena hoje vive. Ela renasceu e terá a oportunidade de ter uma vida normal”, finalizou.

Crédito/Arquivo Pessoal
por:Alagoas 24 Horas

Postar um comentário

0 Comentários