QUEM É MICHELLE BOLSONARO, A NOVA PRIMEIRA DAMA DO BRASIL?


Brasiliense é casada com o político desde 2007 e mãe da filha caçula e da enteada do político

 Eleito, o militar Jair Bolsonaro terá ao seu lado a esposa, a brasiliense Michelle de Paula – como Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro gosta de ser chamada. Os dois se conheceram na Câmara dos Deputados, em 2007. Na época, Michelle era secretária parlamentar na Casa, e Bolsonaro já cumpria o seu quinto mandato como deputado federal.

Após seis meses de namoro, o político a pediu em noivado e, passados mais 90 dias, os dois se casaram no civil, em novembro daquele mesmo ano. Michelle é mãe da filha mais nova de Jair Bolsonaro, Laura, de 8 anos. O casal mora em um condomínio de casas na orla da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Michelle trabalhou como funcionária da Câmara entre 2006 e 2008. No período, ocupou o cargo de secretária parlamentar nos gabinetes dos ex-deputados Vanderlei Assis (PP-SP) e Dr. Ubiali (PSB-SP). Em 2007, a esposa de Bolsonaro foi nomeada para uma posição na liderança do PP – sigla do político carioca, na época –, na qual permaneceu entre junho e setembro.

Em 18 de setembro de 2007, a funcionária foi nomeada para o gabinete de Bolsonaro, também como secretária parlamentar. Contudo, a brasiliense acabou exonerada em novembro de 2008, após uma súmula do Supremo Tribunal Federal (STF) emitida em agosto daquele ano proibir a contratação de parentes até terceiro grau.

RELIGIÃO

Uma das principais marcas da primeira-dama é sua fé e atuação religiosa. Michelle é evangélica e frequentou durante anos a sede da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (Advec), igreja fundada pelo pastor Silas Malafaia, na Barra da Tijuca.

Partiu dela o pedido para que Malafaia celebrasse seu casamento religioso com Bolsonaro, em 21 de março de 2013. O dia foi escolhido por ser o aniversário do parlamentar e a véspera da data de nascimento da noiva.

No entanto, a brasiliense começou a frequentar a Igreja Batista da Atitude, que também mantém uma sede na Barra da Tijuca, a partir de 2017. Na nova igreja, Michelle envolveu-se com a educação de surdos e mudos. A brasiliense chegou a trabalhar, inclusive, com a tradução simultânea dos cultos para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).



Por:Pleno News

Postar um comentário

0 Comentários