EX-BATERISTA DE BANDA DE AXÉ É ENCONTRADO MORTO EM RESIDÊNCIA NO FAROL AO LADO DO CORPO DE UMA MULHER (VEJA VÍDEO)



Corpos de Dudu Athayde e Dayana Maria Monteiro tinham marcas de tiro


O ex-baterista da banda Cannibal Eduardo Henrique Athayde, o Dudu Athayde, de 34 anos, foi encontrado morto dentro de sua casa, localizada no bairro do Farol, na parte alta de Maceió. O corpo do músico foi encontrado pela irmã ao lado de uma mulher  identificada como Dayana Maria Monteiro, no estúdio musical que há na residência.

Os corpos estavam deitados um ao lado do outro numa cama, e a arma - uma pistola 765 - foi encontrada na mão direita de Dudu, que apresentava marca de tiro na têmpora direita. Já Dayana estava abraçada ao corpo do músico e tinha marca de tiro na testa. Os dois estavam vestidos. No local, havia comida e bebida alcoólica.

Segundo o delegado Antônio Henrique, a suspeita é que se trata de homicídio seguido de suicídio, mas somente o trabalho da perícia é que vai esclarecer o caso.

delegado informou que já foi possível apurar que Dayana é natural do Ceará, tinha chegado a Alagoas havia poucos dias e estava com a chave do apartamento de uma colega, também natural do Ceará.

"Temos que investigar, inclusive, as circunstâncias como essa menina veio para cá. Ela é cearense, e está aqui há pelo menos três dias. Verificamos que ela tem a chave do apartamento de uma colega, que é do Ceará e está vindo para Maceió. Segundo a família, o Eduardo não tinha namorada. Não casa o contexto da menina estar com ele", relata.

 Amigos de Dudu disseram à Gazetaweb, entretanto, que Dayana era namorada do baterista.

No local, a polícia encontrou também o comprovante da compra de um sushi em uma loja aqui na cidade, feita na madrugada de segunda-feira. Para o delegado, isso pode ajudar a precisar quando ocorreu o crime.

O delegado informou que a polícia foi acionada após a irmã da vítima encontrar os corpos, por volta das 13h, quando ela foi ao estúdio chamar Dudu para almoçar. Equipes dos Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML) também foram acionadas para o recolhimento e perícia do corpo, respectivamente.

DEPRESSÃO

O delegado Antônio Henrique também relatou que, de acordo com a família, o músico - que morava com a mãe - tinha problemas de depressão, era recluso e costumava passar muito tempo tocando bateria no estúdio da casa.

"Dudu tinha uma vida equilibrada, era de classe média alta e não tinha problemas financeiros, mas entrou em depressão a partir do ano passado, com a morte do pai, a quem ele era muito apegado", contou à Gazetaweb um amigo do músico, que preferiu não se identificar. Segundo ele, o baterista chegou a dizer a outro amigo que antes do Natal "se encontraria com o pai".

Dudu Athayde tocou na banda Cannibal durante oito anos e chegou a acompanhar os cantores Djavan e Guilherme Arantes em shows.


                      Dudu Athayde foi encontrado morto em residência no Farol


FOTO: ARQUIVO PESSOAL


Por: Gazetaweb/

Imagem: Herbet Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Mais acessadas da semana (Verdade Livre)