ACUSADO DE MATAR IRMÃ POR NÃO TER COMIDA É CONDENADO A MAIS DE 24 ANOS DE PRISÃO


                                          José Nivaldo Emídio foi condenado a mais de 24 anos de prisão

FOTO: HEBERT BORGES


José Nivaldo foi condenado por duplo homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminícidio, além de lesão corporal




Acusado de matar a irmã após uma discussão por não ter comida preparada em casa, José Nivaldo Emídio foi condenado a 23 anos e quatro meses de prisão, em regime fechado, pela morte da irmã Maria Lúcia Emídio, e mais um ano, três meses e três dias por lesão corporal leve contra a sobrinha, Marilúcia Emídio. O julgamento, realizado nesta quarta-feira (27), foi conduzido pelo juiz Geraldo Cavalcante Amorim, na 9ª Vara Criminal de Maceió.

José Nivaldo foi condenado por duplo homicídio qualificado por recurso que impossibilitou a defesa da vítima e feminícidio contra Maria Lúcia Emídio e lesão corporal contra Marilúcia Emídio.

O promotor de Justiça, Leonardo Novais, afirmou que as expectativas fora atingidas e que o conselho de sentença foi sensato e justo. "O resultado do julgamento foi a contento, conforme o Ministério Público esperava. Pedimos condenação em duplo homicídio qualificado por feminicídio e sem direito à defesa, as teses defensivas foram rechaçadas e as do Ministério Público acolhidas pelo conselho de sentença. A pena foi adequada, em relação a este homicídio, e sobre a lesão contra a sobrinha é uma pena natural para o tipo de crime. Somadas as penas, chegaram a quase 25 anos, então entendemos que foi feito justiça no caso e que a condenação resultou das forças de investigação da polícia, do Ministério Público e também das exposições feitas em plenário", declarou.

Caso

Segundo a denúncia do Ministério Público de Alagoas, José Nivaldo chegou em casa, onde estavam a vítima, outro irmão e sua sobrinha, Marilúcia Emídio, e ao perceber que não tinha comida preparada, começou uma discussão com Maria Lúcia.

O réu teria xingado e ameaçado a irmã após ela responder às provocações, dizendo que "ela pagaria pelo que havia dito". Após a discussão, o acusado desferiu facadas na nuca e nas costas de Maria Lúcia e lesionou sua sobrinha no braço esquerdo, quando ela tentou impedir as agressões.

Ao serem ouvidos, os vizinhos afirmaram que José Nivaldo era usuário de drogas, abusava do álcool e já era violento com a irmã há anos. Em depoimento, a vítima sobrevivente e sobrinha do acusado contou que Maria Lúcia costumava deixar comida pronta para José Nivaldo, que a jogava pela casa e no quintal. O réu confessou o crime e disse que já tinha agredido a irmã sob efeito de álcool outras vezes.


Por:Gazeta Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Mais acessadas da semana (Verdade Livre)