OPERAÇÃO PRENDE GUARDA MUNICIPAL SUSPEITO DE PEDOFILIA NA INTERNET EM MACEIÓ


  Operação prende guarda municipal suspeito de pedofilia (Foto: Heliana Gonçalves/TV Gazeta)

Mandados de busca e apreensão e de prisão estão sendo cumpridos em Alagoas e em mais 15 localidades do Brasil



Uma operação comandada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública cumpre mandados de prisão e de busca e apreensão em Alagoas e em 13 estados, além do Distrito Federal, em busca de suspeitos de praticar crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, praticados na internet. Pelo menos, três pessoas foram presas até o momento, no estado, incluindo um guarda municipal e um bancário.

De acordo com a delegada Adriana Gusmão, designada para coordenar o cumprimento das ações em Alagoas, o servidor público foi preso no conjunto Graciliano Ramos, bairro Cidade Universitária, em Maceió.

As outras prisões aconteceram no bairro do Farol e em outros conjuntos do Cidade Universitária. Um deles se chamaria Cícero dos Santos e seria funcionário de um banco. Os três estariam envolvidos em pedofilia e foram levados para a Central de Flagrantes I, onde serão ouvidos.

Os suspeitos, de acordo com a investigação, armazenavam mídias com pornografia infantil no computador e compartilhavam pela internet. "São imagens terríveis envolvendo crianças e adolescentes, com sexo explícito", explicou a delegada, durante entrevista à rádio 98 FM.

Segundo ela, não se consegue identificar, no momento, a origem do material gravado nas mídias. Sabe-se, no entanto, que o conteúdo começou a ser divulgado na América e já está sendo amplamente compartilhado em outros países.

"A última operação aconteceu em março, e as investigações não param. Continua o trabalho de inteligência para cumprir outras prisões", informou Adriana Gusmão.

Ainda segundo a delegada, a criança não é a responsável pela prática criminosa. "Esse crime é praticado pelo adulto, a criança não tem essa conduta. As famílias precisam monitorar o que elas usam na internet, mas o crime é feito por um adulto, que armazena e busca crianças e adolescentes, por gostar desse tipo de imagem e desse tipo de conduta", completou.

Em nota, a Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs) informou que ainda não foi oficiada sobre a suspeita de envolvimento de um servidor nos crimes investigados pela operação Luz na Infância. O secretário já determinou a abertura de procedimento administrativo pela Corregedoria para apuração dos fatos. A Semscs esclarece que está à disposição para colaborar com as demais autoridades policiais e judiciais envolvidas na investigação. 

A operação

A operação Luz na Infância 5 envolve 656 policiais. De acordo com a assessoria de comunicação do Ministério da Justiça e Segurança Pública, agentes de aplicação da lei de seis países estão cumprindo, simultaneamente, mandados de busca e apreensão. Os alvos estão no Brasil, Chile, Panamá, El Salvador, Equador, Paraguai e Estados Unidos.

As ordens de prisão e de busca e apreensão que estão sendo cumpridas no estado são com base em elementos informativos coletados em ambientes virtuais com indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva.

A ação desencadeada é decorrente de cooperação mútua entre a Diretoria de Operações da Secretaria de Operações Integradas do MJSP. Houve também colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE), oferecendo cursos e capacitações que subsidiaram as cinco fases da Operação Luz na Infância.

Por:Gazeta Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Mais acessadas da semana (Verdade Livre)