EM DIA DE PROTESTO CONTRA MORTES DE MÃE E BEBÊ, ADVOGADO VAI AO HOSPITAL NAIR EM BUSCA DO PRONTUÁRIO MÉDICO (VEJA FOTOS E VÍDEO)



Na ensolarada manhã deste sábado, dia 7 de dezembro, familiares, amigos e populares foram às ruas de Paulo Afonso para protestar contra as mortes de Edilane Rocha da Silva, 28 anos e seu bebê ocorridas durante trabalho de parto na última segunda-feira, dia 2.

Erguendo faixas e cartazes com pedidos de justiça, a mãe, dona Edilene Rocha, o pai, filhos, irmãos e outras dezenas de pessoas puxadas por um carro de som saíram em passeata até a frente do Hospital Nair Alves de Souza, local onde ocorreu o parto de Lane, como também era chamada a vítima. Lá os manifestantes rezaram a Oração do Pai Nosso.

Políticos também participaram dos protestos entre eles, Roosevelt Carvalho e Capitão Paes do PSL e os vereadores Moreirão e Mário Galinho.

Galinho comentou sua participação em suas redes sociais: “Participei da manifestação por JUSTIÇA no caso da jovem Edilania e seu bebê. Uma manifestação de dor, pacífica, onde prevaleceu o clamor dos familiares e o silêncio de políticos e autoridades. A caminhada saiu da Praça das Mangueiras e se dirigiu até o HNAS, local onde mãe e filho vieram a óbito na última segunda-feira. Além de ser um representante dos anseios do povo, eu acompanhei de perto todo esse sofrimento e me solidarizei com a dor desta família. Iremos buscar as respostas para essa tragédia, para que outras famílias não passem por essa dor.”

Ainda durante a manifestação, a família de Lane foi com o advogado Rômulo Lisboa até a recepção do Hospital Nair em busca do Prontuário Médico que discrimina a cronologia dos atendimentos oferecidos a paciente gestante, porém o documento não foi entregue.

O advogado reuniu a imprensa e estranhou a postura do hospital declarando que nada justificava a negativa:

Viemos até aqui no hospital em sinal de protesto de forma ordeira para mais uma vez solicitar a entrega do prontuário médico. Até o momento, a Chesf Hospital Nair Alves de Souza simplesmente se nega a fornecer a família o prontuário médico. Nos parece é que a Chesf pretende maquiar esse prontuário e escrevê-lo à sua conveniência de forma tal que retrate aquilo que atinja os seus interesses. Não há qualquer razão para seja fatída ou jurícia para essa demora na entrega do prontuário a família.”

Rômulo Lisboa disse ainda que ocaso já foi levado à Delegacia de Polícia: “Nós já comunicamos a Polícia Civil e em breve iremos ingressar com ação indenizatória por danos materiais e morais em favor da família para que esse dano seja ao menos recompensado. De uma só vez essa mãe perdeu sua filha e seu neto.”. (Veja o vídeo com a entrevista abaixo)















Por:PA4/ Créditos/Fotos: Redes sociais

Postar um comentário

0 Comentários