no-style


EUA SUPERAM MARCA DE 30 MIL MORTOS POR COVID-19

Equipe médica transportam corpo de contêiner refrigerado no bairro do Brooklin, em Nova York (EUA), na quarta-feira (8) — Foto: Mary Altaffer/AP

Presidente Donald Trump quer iniciar reabertura da economia do país, mas governadores de alguns estados devem manter medidas de isolamento.



O número de mortes por Covid-19 nos Estados Unidos ultrapassou a marca de 30 mil nesta quinta-feira (16), mostram dados da Universidade Johns Hopkins. A situação é mais grave em Nova York — só na maior cidade norte-americana, quase 11 mil pessoas morreram em decorrência da infecção pelo novo coronavírus.

Os Estados Unidos são o país com o maior número absoluto de casos confirmados de Covid-19: nesta quinta, eram quase 650 mil casos. É mais do que o triplo do registrado na Espanha, segundo país com mais diagnósticos da doença no mundo.
Os EUA, inclusive, vêm registrando mais de 2 mil mortes por Covid-19 diariamente — taxa superior à vista em qualquer outro país do mundo. No balanço de quarta-feira, o país contou quase 2,6 mil mortos pelo novo coronavírus.

Veja abaixo a LINHA DO TEMPO do coronavírus nos EUA





  • 2 de janeiro: EUA registram o primeiro caso do novo coronavírus.
    • 2 de janeiro: EUA registram o primeiro caso do novo coronavírus.
      Primeiras semanas: os EUA mantiveram quarentena apenas para repatriados, como as pessoas retiradas de Wuhan, na China, e as saídas de um navio de cruzeiro do Japão
      4 de fevereiro: o governo do presidente Donald Trump decretou a restrição de viagens para a China e com origem no país asiático.
      20 de fevereiro: os Estados Unidos completam 1 mês do primeiro registro do novo coronavírus e tem 13 casos confirmados de Covid-19 nenhuma morte, segundo a Universidade Johns Hopkins e a OMS.
      11 de março: com 50 dias desde o primeiro caso confirmado de coronavírus nos EUA, o país já saltava para as 1.281 confirmações e registrava 36 mortes; Trump suspende viagens da Europa aos EUA.
      16 de março: O presidente dos Estados Unidos enviou cartas à população norte-americana com a recomendação de ficar em casa e de evitar contato com idosos.
      24 de março: a OMS disse ver uma "aceleração muito grande" em número de casos de coronavírus nos Estados Unidos, o que representaria um potencial para o país se tornar o novo epicentro da epidemia. No mesmo dia, o presidente Donald Trump disse que esperava pôr fim às medidas de restrição até a Páscoa.
      25 de março: Trump voltou atrás e disse que não iria pôr fim às medidas de isolamento nos EUA de maneira precipitada, neste dia, o Senado chegou a um acordo sobre um plano federal de estímulos de US$ 2 trilhões para aliviar as consequências da pandemia.
      27 de março: os EUA ultrapassaram os 100 mil casos confirmados de Covid-19, após uma ação de testes em massa. Com 101.657 o país já contabilizava 1.581 mortes.

    Trump que relaxar isolamento; governadores, não


    • O presidente Donald Trump pretende anunciar ainda nesta quinta uma série de medidas para permitir a reabertura do país em meio à pandemia. Ele acredita que os EUA passaram do pico de contágios de Covid-19.
    • Presidente dos EUA, Donald Trump, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (15) — Foto: Leah Millis/Reuters
      A proposta, porém, conta com oposição dos governadores dos estados mais afetados pelo novo coronavírus, sobretudo Nova York — estado que, inclusive, passará a exigir o uso de máscaras em público.


    Fonte:G1

    Postar um comentário

    0 Comentários