no-style


POLICIAIS PENAIS SÃO AFASTADOS APÓS VÍDEO MOSTRAR REEDUCANDOS PASSANDO MAL; CONFIRA


Comissão de sindicância foi instaurada e investiga a denúncia de superlotação; pelo menos 11 internos tiveram de ser atendidos

Após um vídeo circular nas redes sociais neste fim de semana, mostrando reeducandos que cumprem pena no presídio Cyridião Durval passando mal por causa da superlotação das celas, sete policiais penais que estavam de serviço no Presídio Masculino Cyridião Durval e Silva, em Maceió, foram afastados.

 De acordo com a Secretaria da Ressocialização e Inclusão Social (Seris) uma comissão de sindicância foi instaurada e determinou o afastamento cautelarmente por 60 dias, prorrogáveis por mais 60.

A decisão foi tomada após análise do circuito interno de câmeras da unidade. O procedimento busca apurar a conduta dos servidores penitenciários durante o fato registrado no último sábado (12). Todos serão afastados com base no artigo 193 da lei 5.247/9, que instituiu o regime jurídico dos servidores públicos do estado de Alagoas.

                                               Presos passaram mal por causa da superlotação do presídio

 Em nota, o Sindicato dos Policiais Penais de Alagoas (SINDAPEN) repudio o afastamento e denunciou as condições precárias do presídio. "O presídio em questão está com um pátio inteiro coberto de esgoto, com baixíssimo efetivo e estrutura extremamente precária. O que vimos, foi o pronto atendimento, por parte dos Policiais Penais, aos presos que estavam amontoados em celas superlotadas e totalmente insalubres".

 O sindicato informou que ainda não teve acesso ao teor do afastamento, mas que já acionou o jurídico.

 VídeoVídeo

 Nas imagens, cinco internos se contorcem no chão próximo à enfermaria da unidade após sentirem dificuldade para respirar, enquanto um narrador, que não aparece no vídeo, diz que as celas estão abarrotadas, com pouco ar circulando. A Seris informou que os reeducandos passam bem e foram atendidos por equipe da Gerência de Saúde da Seris, sendo encaminhados, por precaução, ao hospital de campanha montado no próprio sistema prisional, onde seguem sob observação. Eles serão novamente avaliados e devem retornar à unidade de origem somente quando estiverem plenamente recuperados.

 


Por: Gazetaweb

Postar um comentário

0 Comentários