COM FERIADÃO, GOVERNO ANTECIPA NOVO DECRETO; ANÚNCIO SERÁ NESTA TERÇA-FEIRA, ÀS 17H


Em suas redes sociais na noite desta segunda-feira, 29, o governador Renan Filho (MDB) anunciou que nesta terça, 30 de março, divulga o novo decreto de distanciamento social, em live a partir das 17 horas (acompanhe ao vivo pelo TNH1). Como havia adiantado o jornalista Ricardo Mota, em seu blog no TNH1, o feriado de Páscoa motivou alteração no cronograma dos decretos, cuja validade venceria na sexta-feira, dia 02.

 

Como sempre, as novas medidas só serão conhecidas a partir da coletiva, mas pelo o que deu a entender o governador em entrevista nessa segunda, o novo decreto não deve ter grandes recuos. A tendência é que sejam mantidos os atuais niveis de isolamento em todo o estado, podendo haver, por conta do feriadão, um endurecimento nas restrições de funcionamento do comércio e na movimentação da população, que já teve circulação restringida pelo "toque de recolher".

 

"Ainda não é prudente e nem razoável voltar à fase laranja. Somos um dos poucos estados do Brasil a não colapsar. Feriado tem sido avaliado de duas maneiras. Por um lado ele tende a ter aglomeração de pessoas, mas em outros lugares eles tendem a diminuir, com a redução de transportes", disse, reticente, o governador à imprensa, ao anunciar que se reuniria com o secretário de Saúde, Alexandre Ayres, técnicos e empresários do setor produtivo para decidir os próximos passos, que serão anunciados nesta terça.

Foto: Agência Brasil/Arquivo

A manutenção dos atuais níveis de isolamento social - se confirmada - deve-se principalmente aos números da Covid-19 que não arrefecem no estado.  Nos últimos dois boletins da Sesau, constam 22 mortes por Covid por dia, com queda apenas no número de novos casos, mas considerando-se aí uma baixa sempre comum nos finais de semana.

Segundo análise do Observatório Alagoano de Políticas de Enfrentamento à Covid-19, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em reportagem do TNH1 desta segunda-feira, os óbitos por Covid aumentam 13% em Alagoas, e 'o cenário é extremamente crítico'.

 "Apesar de ter sido constatada uma diminuição do ritmo de ocupação, os leitos de UTI ainda registram taxa de ocupação próxima de 90%, sendo dramática a situação da 2ª macrorregião de saúde do estado, já que Santana do Ipanema e Palmeira dos Índios têm ocupação máxima, enquanto Arapiraca só possuía ontem à noite dois leitos de UTI disponíveis, que figura uma ocupação de 97%", explicou o coordenador do Observatório, Gabriel Bádue. (Leia matéria completa)

O aumento de casos da doença entre os mais jovens e o índice de ocupação de leitos de UTI também prejudicam a matemática do governo na hora de tomar decisões. Segundo a Sesau, Maceió tem 84% das UTIs ocupadas por pacientes infectatos, e no interior esse índice chega a 87%.


TNH1

Postar um comentário

0 Comentários