ESTADO DE SAÚDE DE CRIANÇA QUEIMADA APÓS EXPLOSÃO DE CELULAR É GRAVE, INFORMA HGE

 

Casa incendiada em Pão de Açúcar - Foto: Reprodução

Boletim médico divulgado na tarde desta sexta-feira (16) informa que menor de 10 anos segue internada no Centro de tratamento de Queimados

 

O Hospital Geral do Estado (HGE) informou que a menor G.S.J, de 10 anos, permanece internada no Centro de Tratamento de Queimados da unidade hospitalar, mas, com vaga já disponibilizada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A menor deu entrada no HGE na noite desta quinta (15), após ser transferuda do Hospital de Emergência do Agreste. A paciente sofreu lesões extensas, de 2º e 3º graus, em 40% do corpo, principalmente nos membros inferiores e superiores. Seu quadro de saúde é considerado grave, segundo o boletim médico divulgado por volta das 16:30hs desta sexta-feira (16).

A menina de 10 anos sofreu queimaduras após um aparelho celular explodir dentro de casa no povoado Santiago, zona rural de Pão de Açúcar, sertão de alagoas. O irmão da menina, de apenas 2 anos de idade, também foi atingido pelas chamas e permanece em internado em observação no Hospital de Emergência do Agreste (HEA).

No momento do acidente, a menina e o irmão estavam dormindo no mesmo quarto. As chamas provocadas pela explosão atingiram o colchão e foram se espalhando por toda a residência. A avó das crianças, que estava dormindo em outro cômodo, teria desmaiado quando viu as chamas se alastrando por toda a casa. Ainda segundo os vizinhos, a menina começou a gritar por socorro, e os moradores tiveram que quebrar o cadeado da residência para socorrer as duas crianças.


Quarto onde crianças dormiam. Foto: reprodução 

 

Segundo relato da madrinha das crianças, a menina de 10 anos foi mais atingida pelas chamas porque tentou proteger o irmãozinho mais novo.

A médica Daniela Bandeira Pacheco ressaltou que as queimaduras mais graves estão localizadas nas mãos e pés da menor, talvez por proteger o irmão. “Ela está com epidermólise nestas regiões, uma alteração nas proteínas responsáveis pela união das camadas da pele. Será avaliada pelo vascular e, possivelmente, transferida para Unidade de Terapia Intensiva para resguardarmos os cuidados”, salientou.

 

Precauções

 

O trágico incidente despertou a atenção para o risco de explosões em aparelhos celular. Especialistas do HGE deram um alerta sobre os riscos desses equipamentos, principalmente quando estão conectados a um carregador ligado na tomada.

Paulo Teixeira, médico e gestor do HGE, alertou para os perigos com os aparelhos celulares. “Infelizmente aconteceu esta fatalidade com nossa paciente, que pode ter ocorrido devido a uma explosão da bateria. Para minimizar e até evitar acidentes, pensamos em algumas recomendações importantes, que devem ser observadas”, salientou.

Segundo o médico, aparelhos celulares não devem ser deixados em locais úmidos, precisam ser desligados enquanto carregam e, apenas carregadores originais devem ser utilizados, pois esses equipamentos são homologados pela Anatel [Agência Nacional de Telecomunicações].

“O uso do celular enquanto carrega pode superaquecer o aparelho, podendo gerar explosões; também é aconselhado tirar o smartphone da tomada durante chuvas fortes e de grande duração. A condição atmosférica gera descargas elétricas que podem representar riscos à segurança”, explicou.

Ele também orientou a jamais utilizar fones de ouvido com celular conectado à tomada, nem abafar o celular no momento do carregamento ou carregar debaixo de travesseiro. E sempre retirar o carregador da tomada após encerrado o uso.


Por 7 Segundos com Assessoria


 

Postar um comentário

0 Comentários