MAIS DE 46 MIL ALAGOANOS ESTÃO COM A SEGUNDA DOSE DA VACINA ATRASADA

abio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Escassez de imunizantes, confusão sobre data da aplicação e medo de reações adversas são motivos apontados


Cerca de 46.611 pessoas ainda não compareceram aos postos de vacinação do estado de Alagoas para tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Alagoas através do professor Krerley Oliveira. A situação vista no Brasil é de que aproximadamente 4 milhões de pessoas não retornaram aos postos para tomar a segunda dose da vacina, os números são divulgados pelo Ministério da Saúde com base em informações de estados, municípios e do Distrito Federal.

Em Abril, os motivos apontados por especialistas para o abandono da segunda dose foram por muitas vez a escassez de vacinas, e também a confusão sobre o intervalo entre elas, entre eles, o medo de reações adversas, a dificuldade de acesso às salas de vacinação e a confiança em informações falsas sobre os imunizantes lideram o ranking para a não volta aos postos de vacinação.

Mas, início deste mês, o Ministro da saúde Marcelo Queiroga afirmou, em coletiva de imprensa, que o problema não é mais relacionado à escassez de vacinas. “Há pouco tempo, a segunda dose atrasada se devia à falta do imunizante. Quando o imunizante falta, o Plano Nacional de Operacionalização já diz que a vacina será aplicada assim que chegar. Hoje, não há questão de dose de vacina, porque temos as D2 (dose dois) que estão guardadas”, explicou. Esse não comparecimento para a segunda aplicação é denominado tecnicamente de “taxa de abandono” por especialistas da imunização, e foi esperado desde do início da campanha devido as informações falsas que circulam entre a população e o medo por parte de reações ao imunizante.

Como fala o diretor científico da Sociedade Brasileira e Imunizações (SBIm) Renato Kfouri “um clássico, gente que teve reação após a primeira dose e desistiu de tomar a segunda ou simplesmente se esqueceu, além da falta de vacinas são algumas explicações”, afirma Kfouri. Em Maceió o número divulgado representa 11.461 pessoas faltosas para tomar a segunda dose da vacina contra a covid-19, representando 7% da percentagem geral da imunização, sendo 4.740 não concluintes da imunização com a vacina Coronavac e 6.720 com a Astrazeneca, segundo o balanço geral divulgado pela prefeitura de Maceió.

Dos números representados, após Maceió, os municípios que apresentam mais índices de pessoas faltosas para segunda dose da vacina, é Arapiraca totalizando 1.362 mil pessoas e o município de Delmiro Gouveia com 1.633 pessoas que não compareceram aos postos de vacinação para tomar a segunda dose da vacina.

As vacinas contra a Covid-19 garantem proteção porque previnem a doença, principalmente as que pedem a tomada da segunda dessa, assim reduzindo as chances de morte e internações. Embora não impeça o contágio nem a transmissão do vírus, a vacinação é essencial, já que induz o sistema de defesa do corpo a produzir imunidade contra o coronavírus pela ação de anticorpos específicos, segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

“É importante tomar a dose mesmo com atraso, pois precisamos de uma cobertura em torno de 75% da população para conseguiremos controlar a pandemia de Covid-19”, afirma Flavia Bravo, diretora da sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

 

Postar um comentário

0 Comentários