VEJA QUEM SÃO OS PRESOS PELA MORTE DE MOÏSE E QUAL A PARTICIPAÇÃO DE CADA UM NAS AGRESSÕES

Moïse foi brutalmente golpeado — Foto: Reprodução

 
A polícia afirma que Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca, o Dezenove; Brendon Alexander Luz da Silva, o Totta; e Fábio Pirineus da Silva, o Belo, são os assassinos de Moïse.


Três homens foram presos pela morte de Moïse Kabagambe. O congolês foi linchado na noite do último dia 24 em um quiosque na Barra da Tijuca. O crime foi registrado pela câmera de segurança do estabelecimento.

 A polícia afirma que Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca, o Dezenove; Brendon Alexander Luz da Silva, o Totta; e Fábio Pirineus da Silva, o Belo, são os assassinos de Moïse.


Aleson, Fábio e Brendon, presos pela morte de Moïse — Foto: Henrique Coelho / g1

Ao g1, uma das pessoas que aparecem na filmagem disse que Totta, Bello e Dezenove trabalhavam como "comissionados" na praia. Eles ofereciam drinques e petiscos na areia e ganhavam um percentual por aquilo que conseguiam vender. De acordo com o relato, essa também era a atividade de Moïse no quiosque Tropicália.

As outras pessoas que aparecem nas imagens do crime, segundo a Delegacia de Homicídios da Capital, não se envolveram diretamente no homicídio. Elas podem, no entanto, responder por omissão.


A cronologia do crime

22h25: Moïse, de blusa preta e bermuda vermelha, discute com um funcionário do quiosque, de camisa listrada verde e preta. O empregado pega um pedaço de pau e se afasta, contornando o freezer amarelo com o nome Tropicália. O congolês pega uma cadeira e abre a tampa da geladeira. Em seguida, uma vassoura, que solta na sequência, junto com a cadeira.


De camisa listrada e com um pau na mão, um funcionário do quiosque tenta manter a distância de Moïse, que também usa objetos como uma vassoura e uma cadeira para ameaçar o senhor — Foto: Reprodução/Globo


Moïse está imobilizado no chão — Foto: Reprodução

  • Aparece Aleson, de camisa vermelho e preta, que bate quatro vezes no congolês. Moïse é amarrado.
  • Moïse foi brutalmente golpeado — Foto: Reprodução

    •  Segundos depois, ao perceber que Moïse não reagia mais, Totta faz massagem cardíaca no congolês. Outros levam gelo, em vão. A gravação termina às 22h54.

      Eles devem responder por homicídio duplamente qualificado: impossibilidade de defesa e meio cruel.



      Por G1

      Postar um comentário

      0 Comentários