PARENTES DE VÍTIMAS QUE MORRERAM CARBONIZADAS EM COLISÃO PEDEM JUSTIÇA: 'A GENTE QUER QUE, QUEM CAUSOU ESSE ACIDENTE, SEJA PUNIDO'

 


Polícia Científica confirmou nessa terça (10) que apenas uma das três vítimas carbonizadas foi identificada

 

Parentes das vítimas de acidente que matou três pessoas da mesma família, no fim de semana, na Barra de São Miguel, pedem justiça. Ainda sem conseguir sepultar Marcos Antônio, Maria Damiana e a menina Lorena de dois anos - sobrinha do casal - eles cobram que a polícia esclareça o caso e aponte os culpados. O motorista responsável por causar o acidente deve ser ouvido na polícia nesta quinta-feira (12).

Nessa terça-feira (10), a chefia do Instituto Médico Legal de Maceió orientou as famílias a procurar a Defensoria Pública do Estado com a finalidade de que seja solicitado ao Poder Judiciário uma ordem judicial para liberação e sepultamento dos cadáveres. De acordo com os familiares, além do casal e da sobrinha Lorena, estavam no carro uma criança de 11 anos - filha do casal - e uma mulher, a mãe da criança que morreu. Estas duas últimas sobreviveram.

“É muito sofrimento o que está acontecendo. A gente quer enterrar e quer que a pessoa que causou esse acidente seja punido”, desabafa Franciele Santos, sobrinha de Damiana, a vítima do acidente, que deixa três filhas.


BPRv

A garotinha Lorena, de apenas dois anos, que não resistiu, era filha de Graziele, que também estava no carro e já recebeu alta médica. Já Aniele, de 11 anos, filha de Damiana, teve ferimentos leves e também está em casa. “Ela (Aniele) está em depressão porque não conseguiu salvar a mãe. Está sofrendo muito. A Graziele chora todo momento lembrando da filha”, afirma Franciele.

As três vítimas, que moravam na Barra de São Miguel, não resistiram ao grave acidente após um Golf bater na traseira do Uno, que levava as cinco pessoas da mesma família. O Uno saiu da pista, capotou e pegou fogo.

 

Excesso de velocidade

 

Dados preliminares da perícia criminal apontam excesso de velocidade de um dos veículos envolvidos no acidente em que três pessoas morreram carbonizadas na AL-101 Sul, na Barra de São Miguel, Litoral Sul de Alagoas, nesse domingo (8). A informação foi confirmada na manhã dessa terça-feira (10), pela Polícia Científica de Alagoas.

 

“O veículo Golf estava desenvolvendo uma velocidade de valor bastante superior para o local, acima de 145 km/h, quando colidiu na traseira do Uno, ocasionando a perda de controle e o capotamento de ambos os veículos. Assumimos, como hipótese principal, que a colisão provocou o vazamento de combustível e, com a fricção da lataria do Uno no asfalto, deu início à combustão. Pelo que constatamos no local, as vítimas não morreram por consequência direta da colisão, mas devido à asfixia e às queimaduras provocadas pela combustão do veículo”, afirmou o perito criminal Edson Júnior.

 

 

Motorista do Uno é identificado

 

A Polícia Científica de Alagoas confirmou, nessa terça (10), que apenas uma das três vítimas fatais carbonizadas, após um acidente de trânsito na Barra de São Miguel foi identificada oficialmente pelo órgão. De acordo com o Instituto de Medicina Legal Estácio de Lima (IML de Maceió), o corpo é o do motorista do veículo Fiat Uno, Marcos Antônio Silva dos Santos.

 

A perita odontolegista Ana Paula Cavalcante Carneiro Nemésio, coordenadora do Departamento de Identificação Humana do IML da Capital, explicou que o corpo do motorista foi identificado através de exame necropapiloscópico. Já nos outros dois corpos, de uma vítima adulta do sexo feminino e de uma criança, esse tipo de exame ficou inviabilizado devido ao estado dos cadáveres.

A odontolegista ainda explicou que, no caso do corpo da mulher, ainda havia a possibilidade de fazer a identificação através do exame odontolegal. A família chegou a apresentar um prontuário odontológico, mas, o documento não apresentava as informações necessárias para realizar a comparação com a arcada dentária do cadáver.

“A criança e a vítima do sexo feminino terão que ser identificadas por DNA. A família da vítima trouxe uma ficha odontológica com pouquíssimas informações para confronto com o exame odontolegal. Além disso, no documento não é possível saber qual dentista fez os procedimentos, pois não há carimbo e nem o nome do profissional", explicou a coordenadora do Departamento de Identificação Humana.

A equipe do IML já coletou amostras de material biológico desses dois corpos ainda não identificados desse acidente. As duas famílias também já compareceram à unidade para fornecer amostra biológica de referência para a realização do exame de DNA no Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística.

 

O motorista responsável por causar o acidente deve ser ouvido na polícia nesta quinta-feira (12).

 

O acidente

 

Uma criança de dois anos e mais dois jovens morreram carbonizados após um carro colidir com outro veículo e pegar fogo, no final da tarde de domingo (8), na AL-101, na Barra de São Miguel, Litoral Sul de Alagoas. No veículo em chamas, estavam cinco pessoas da mesma família. Outras duas conseguiram sair do carro. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros (CB).

O acidente teria ocorrido próximo ao Ninho do Galo, e, no começo da noite, as chamas já haviam sido debeladas pelos bombeiros.


Gazetaweb

 

Postar um comentário

0 Comentários