no-style


MORTES EM BATALHA CONFIRMAM IMPOTÊNCIA DA POLICIA NO COMBATE À`"VELHA VIOLÊNCIA"

Imagem/Internet


São dois crimes cometidos em pouco mais de um mês – no final do ano passado -, em Batalha, que confirmam a dificuldade da polícia alagoana de combater a velha violência, que sempre tem “cumpra-se” do poder da grana ou político.

Por mais que a presença da PM, principalmente nas cidades maiores, reduza a sensação de insegurança – com os excessos conhecidos -, ainda assim há um limite claro na apuração dos crimes de mando em Alagoas.

É importante ressaltar que essa incapacidade (?) não foi criação do governo Renan Filho, mas fato concreto é que ela se mantém na área mais valorizada pelo atual governo do Estado: a Segurança Pública.

Não há de ser um exagero afirmar que o poder político, quando está por trás de um crime de morte (e da pistolagem) há de se sentir imune e salvo do império da lei – carrega a convicção de que nunca será alcançado.

A polícia não tem recursos científicos, materiais, para chegar ao fim dos inquéritos apontando executores e mandantes?

Esta é apenas uma meia-verdade – ou uma parte da história.

Que, infelizmente, ainda não aponta para um final que leve à paz.

A voz de comando, determinada e convicta, isenta de quaisquer ligações políticas e/ou pessoais, tem de partir do chefe do poder Executivo.

Ou é assim, ou será do mesmo jeito que tem sido na história de Alagoas.


Por: Tnh1/Texto: Ricardo Mota

Postar um comentário

0 Comentários