SUSPEITOS DE EXPLODIR CARRO FORTE SÃO PRESOS COM FUZIS; NOVE SEGUEM FORAGIDOS (VEJA FOTOS)


Imagem reprodução das polícias de Bahia e Pernambuco
 Também foi encontrado com o grupo vasta quantidade de explosivos, rádios comunicadores, balaclavas e trajes do Exército


Seis pessoas foram presas, nesse domingo (24), suspeitas de explodir um carro forte no município de Inhapi, no interior de Alagoas, em maio deste ano. As prisões aconteceram, no entanto, após diligências das Polícias Civis de Alagoas e da Bahia, com auxílio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Polícia Militar (PM) de Pernambuco (2º BIESP). Nove homens ainda seguem foragidos.

O carro forte foi cercado pelo grupo, que incendiou dois veículos e uma carreta na pista, impedindo a aproximação da polícia. O veículo de transporte de valores, por sua vez, foi alvejado com disparos de fuzil e explodido pelos criminosos, que obtiveram êxito em subtrair grande quantia em dinheiro.

Contudo, investigadores da Seção Especial de Roubos a Bancos da Divisão Especial de Investigações e Capturas (DEIC/PCAL), em conjunto com policiais civis da Bahia - DRACO e Coordenadoria de Paulo Afonso, - conduziram uma minuciosa investigação por seis meses, chegando à identificação dos assaltantes.

Sendo assim, foram realizadas prisões em Delmiro Gouveia, em Alagoas; Paulo Afonso, na Bahia; e Petrolina, no estado de Pernambuco. Os detidos na operação conjunta foram identificados como Fábio Júnior dos Santos, Leandro Batista de Lima, José Salviano Arcoverde Neto, Jéssica Carolina, Galdino Coelho Feitosa Neto e Maria das Dores Vieira. Na ocasião, uma arma de fogo também foi apreendida. O grupo responderá pelos delitos de organização criminosa e roubo majorado e estão à disposição da Justiça.

No decorrer das investigações, também foram apreendidos com o grupo quatro fuzis, três carabinas, três revólveres, uma pistola 9 mm, dois coletes balísticos, cinco carros - sendo quatro deles roubados -, vasta quantidade de explosivos, rádios comunicadores, balaclavas e trajes do Exército.

 O grupo era liderado pelo baiano Varnei Xavier dos Santos, que se encontra foragido, e pelo presidiário José Salviano Arcoverde Neto, o qual, de dentro do presídio, organizava as ações do grupo, que agia não apenas em Alagoas, mas também na Bahia, Pernambuco e Sergipe.

A polícia, entretanto, reforça que a população pode ajudar à polícia fornecendo informações sobre os foragidos. Eles foram identificados como Varnei Xavier dos Santos, Felipe Bernardes Andrade, Bruno Nobre da Silva, Antônio Cezar, Aldean Oliveira Ramos, Fabrício de Menezes Albuquerque, José Cícero dos Santos Júnior, Edson Barbosa da Silva e Messias Vicente da Silva.















Por Greyce Bernardino, com Deic 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

As Mais acessadas da semana (Verdade Livre)