no-style


CENTRO DE MACEIÓ FICA LOTADO NO PRIMEIRO DIA DE REABERTURA DO COMÉRCIO; VÍDEO

Foto/Cortesia

Algumas pessoas foram impedidas de passar pelas barreiras por não estarem usando máscaras

 Antes mesmo das lojas abrirem, às 10h da manhã, filas de dar voltas nos quarteirões já estavam formadas no Centro de Maceió nesta sexta-feira (03), o primeiro dia da implantação da fase laranja do distanciamento social controlado. 

Foram montadas 12 barreiras sanitárias nas entradas do Calçadão, para fiscalizar se as pessoas estavam usando máscaras e para aferir a temperatura corporal. E mesmo depois de todo o período de quarentena e de todas as recomendações, algumas pessoas insistiam em não usar máscaras e foram impedidas de entrar. 
De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social (Semscs), até às 10h da manhã, catorze pessoas haviam sido abordadas por não estarem com a máscara no rosto e, após orientação, passaram a utilizá-la, pois haviam levado o equipamento de proteção, de uso obrigatório em via pública e estabelecimentos comerciais.
 “Houve pessoas que chegaram antes das 10h e formaram filas em frente às lojas esperando que abrissem. A Secretaria está cumprindo seu papel de orientar e fazer com que as pessoas circulem obedecendo os decretos que implantam medidas para evitar o contágio pelo novo coronavírus. É necessário que cada um faça sua parte”, reforça o diretor de Convívio Social da Semscs, Carlos Alberto Mendonça.
As barreiras contam também com policiais militares. Os fiscais percorreram as lojas, para averiguar se todas as recomendações estão sendo seguidas e, segundo informou a Semscs, haverá fiscalização em todos os horários.  
Veja vídeo com a movimentação:
Houve também quem aproveitou o momento para faturar: são os ambulantes que já estão comercializando máscaras de todo o tipo no calçadão.
De acordo com o coordenador da Vigilância Sanitária de Maceió (Visa Maceió), Nelson Menezes, com o início da fase laranja, a fiscalização será intensificada no Centro.
“A vigilância conta com um efetivo de 60 fiscais distribuídos em três turnos. Temos uma equipe permanente e já fechamos diversos negócios que estavam autorizados a funcionar, mas não estavam respeitando as orientações e fechamos também alguns que estavam funcionando sem autorização. Neste momento, esse trabalho terá ainda mais atenção das nossas equipes”, detalhou.
“Nossa preocupação se torna maior no que tange a dois cuidados que têm sido abordados desde o início da pandemia: uso da máscara e a questão do distanciamento social. No entanto, estamos sentindo uma dificuldade muito grande com essa questão do distanciamento em algumas regiões da cidade, principalmente nas áreas de feiras livres. E isso é uma questão de educação”, acrescentou o coordenador da Vigilância.
Itawi Albuquerque / TNH1
O diretor de Marketing da Aliança Comercial de Maceió, Marcos Silveira, alertou para a responsabilidade de cada um nesse processo de retomada da economia na capital.
“Pedimos que as pessoas não confundam a reabertura das lojas com o fim da pandemia. O vírus segue e nós apelamos para que só venha ao Centro quem tiver algo para resolver ou para comprar. Não é momento de vir ao Centro para ‘bater perna’”, pontuou.
Segundo Silveira, com mais esta etapa da liberação, cerca de 60% das lojas puderam reabrir as portas.
“Alguns infelizmente não suportaram esses 100 dias fechados e encerraram as atividades, o que resultou na redução de 15% dos postos de trabalho gerados no Centro. Nós temos que aprender a conviver com o vírus e respeitar os protocolos sanitários. Neste caso, a população precisa fazer as compras sem aglomerar”, acrescentou.
Orla de Maceió
Já na orla, também liberada neste dia 03, o movimento foi bem menor, mas banhistas e pessoas que estavam fazendo caminhadas foram vistas circulando sem máscaras. 
Por:TNH1

Postar um comentário

0 Comentários