COVID-19 PODE DIMINUIR TAMANHO DO PÊNIS, DIZ ESTUDO

Estudo investiga sequelas de longo prazo e conclui que pode diminuir o tamanho do pênis

FOTO: REPRODUÇÃO

Estudo publicado no domingo investiga as sequelas de longo prazo em pacientes infectados pelo vírus

 

Um estudo publicado na plataforma científica MedRxiv, no último domingo (27), que investiga as sequelas de longo prazo da Covid-19, concluiu que o coronavírus pode diminuir o tamanho do pênis.

O estudo, conduzido com mais de 3 mil pacientes de 56 países, começou a investigar as consequências que o vírus pode provocar após a infecção e monitorou os pacientes durante sete meses. Além de 3% dos homens terem relatado uma diminuição no tamanho de seu órgão genital, 15% deles relataram algum tipo de disfunção sexual e 11% relataram dor nos testículos.

Já em relação às mulheres, 26% das que menstruam relataram irregularidade nos ciclos, e 36% relataram algum tipo de problema menstrual. Algum tipo de disfunção sexual também foi relatado por 8% delas.

No entanto, as sequelas no sistema reprodutivo estão longe de ser as mais presentes nos voluntários que participaram do estudo. A maior parte deles, mesmo após sete meses de recuperação, relatou ainda sentir fadiga (de 75% a 80%, dependendo da idade), mal-estar pós-esforço (até 75%) e algum tipo de disfunção cognitiva (de 52% a 59%).

Dentre as sequelas neurológicas mais relatadas, estão a dificuldade de concentração (75%) e dificuldade de raciocínio (65%). Além disso, 73% dos pacientes relataram também algum tipo de problema de memória. Dentre estes, a maioria (65%) relatou problemas com a memória de curto-prazo e 35% teve problemas com memórias mais antigas.

"Uma das maiores descobertas para mim foi que não houve diferença na idade para a disfunção cognitiva, perda de memória ou impacto disso na vida diária! Isso aconteceu com tanta frequência no grupo de 18 a 29 anos quanto no grupo com mais de 70 anos", escreveu a pesquisadora Hannah Davis, uma das autoras do estudo.

O estudo foi feito por voluntários e membros de um grupo de apoio que, desde abril, se dedica a investigar os efeitos a longo prazo da covid-19, e ainda precisa ser revisto por pares.

 

 Por Portal Gazetaweb, com O Dia

Postar um comentário

0 Comentários