DADA COMO MORTA EM ACIDENTE, JOVEM QUE SAIU DA VOLTA DO MOXOTÓ (JATOBÁ-PE), LIGA E ACALMA FAMÍLIA: “NÃO MORRI”

Denise Maria do Nascimento (Reprodução/@denise_mary_16/Instagram)

Denise está internada em Belo Horizonte enquanto se recupera e aguarda cirurgia

 

Uma das vítimas do gravíssimo acidente na BR-381, dada como morta pelas autoridades mineiras, tranquilizou a família ao ligar e informar que estava viva. Denise Maria do Nascimento, 27, foi uma das passageiras que estava dentro do ônibus que caiu no viaduto, em trecho conhecido como Ponte Torta. O nome da jovem estava nas listas iniciais, divulgadas pelas autoridades e repercutidas pela imprensa, dos óbitos confirmados.

A família de Denise ficou sabendo do acidente por volta das 16h de sexta-feira (4), ao ver a notícia na televisão. A prima dela, Geyse Stencoff, recebeu uma ligação da mãe perguntando detalhes sobre a tragédia envolvendo o ônibus da empresa Localima. “Eu respondi rapidamente que não estava sabendo e me desesperei. Logo já tentei avisar a mãe da Denise, minha tia”, relembra Geyse em entrevista ao BHAZ.

Em um primeiro momento, ninguém conseguiu falar com a mãe de Denise, Damiana do Nascimento. Ela estava trabalhando e, por isso, impossibilitada de mexer no celular. Enquanto isso, a família estava desesperada para receber mais notícias da parente acidentada, que tinha saído sozinha de Volta do Moxotó, em Jatobá, no Pernambuco, para visitar a mãe e os irmãos em São Paulo.

Naquele momento, nenhuma lista com nomes tinha sido divulgada, mas Geyse e os parentes já começaram a pensar no pior – e receberam informações não oficiais que já colocavam Denise entre os óbitos. “Devido à demora, ela foi dada como morta. Falaram que estava presa entre às ferragens e não resistiu”, conta Geyse.


 Chamada tranquilizadora


Após algumas horas, Denise conseguiu pedir um celular à equipe médica do hospital João 23 e acalmou a mãe e toda a família. Ela contou que estava sentada na parte traseira do ônibus e chegou a ver que o veículo cairia da ponte, de uma altura de aproximadamente 30 metros. A partir desse momento, desmaiou. “E só foi acordar já no hospital. Quebrou duas costelas, a clavícula e teve uma fratura na coluna. Mas, na medida do possível, está bem”, afirma a prima, que conversou hoje com Denise.


Denise está internada em Belo Horizonte enquanto se recupera e aguarda cirurgia (Geyse Stencoff/Arquivo pessoal)

No fim de semana, Geyse ainda se assustou ao ver o nome da prima entre os mortos do grave acidente. Como já tinha feito contato e sabia que a parente estava viva, o susto foi comedido. “Quando soube do acidente, foi um nervosismo enorme. Eu viajei nesse mesmo ônibus há 15 dias. Mas, ao saber que minha prima está viva, foi um alívio muito grande”.

Damiana, que mora em São Paulo, pegou o primeiro ônibus possível rumo à capital mineira. No domingo, chegou a BH para fazer companhia à filha. Denise continua internada no maior hospital público de Minas. Ela ainda aguarda avaliação médica para, em seguida, passar por cirurgia na coluna.

 

 Correção

Procurado pela reportagem, o Governo de Minas informou que uma lista inicial foi feita logo no momento do acidente. Os números foram atualizados e corrigidos logo na sequência. “O governo trabalha intensamente para repassar todas as informações disponíveis à imprensa e aos familiares, tendo por base o princípio da transparência. Corrigimos as informações iniciais sendo um total de 19 vítimas fatais”, disse, por nota 

 

Tragédia na BR-381

Acidente – O veículo da empresa Localima Turismo saiu do povoado de Santa Cruz do Deserto, em Mata Grande, Alagoas, às 9h da manhã da quinta-feira (3), em direção a São Paulo. Após uma falha mecânica, o ônibus caiu do local conhecido como Ponte Torta, de uma altura de 35 metros.

Redes Sociais



PA4/com Bhaz.com

Postar um comentário

0 Comentários