COVID-19: SEIS PACIENTES VINDOS DE MANAUS CONTINUAM INTERNADOS EM HOSPITAIS DE MACEIÓ

“Alagoas é meu segundo amor, porque fui recebida por uma equipe de anjos”, disse Francisca Celane Pereira ao receber alta do HMA


Das 29 pessoas que foram trazidas para Alagoas, 16 tiveram alta e outras sete entraram em óbito

 

Dezesseis pacientes de Covid-19 vindos de Manaus, no Amazonas, para receber tratamento da rede saúde de Alagoas já deixaram o hospital. Dos 14 pacientes internados no Hospital da Mulher (HM) e no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), dez já receberam alta médica. Já no Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA), dos 15 pacientes recebidos no fim de janeiro, seis também tiveram alta. No total, 29 pacientes chegaram ao Estado nos último dias 21 e 26 de janeiro, por meio da Operação Alagoas Solidária, devido ao colapso na Rede de Saúde Pública de Manaus, que resultou na falta de oxigênio e no surgimento de uma fila de espera por um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No total, 7 pacientes entraram em óbito e seis continuam internados em Maceió.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau), até o momento, não há previsão de que o Estado irá receber novos pacientes vindos de Manaus.

Dos seis pacientes manauaras com Covid-19 que foram internados no HM, cinco já se recuperaram e um encontra-se na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). E dos oito que foram internados no HMA, cinco receberam alta médica e três evoluíram para óbito, conforme balanço divulgado pela Sesau nesta segunda-feira (22).

Já no Hospital Universitário, dos 15 pacientes recebidos pela unidade de saúde, seis receberam alta médica e outros quatro pacientes não resistiram e morreram em decorrência do agravamento do quadro de Covid-19. Outros cinco pacientes seguem internados.

Dois pacientes que se recuperaram no Hospital da Mulher são o fotógrafo Israel Gato Serrão, de 41 anos, e a agente de portaria Etiene Silva Oliveira, de 36, que retornaram à capital do Amazonas uma semana depois de serem trazidos a Alagoas. No início deste mês, em 5 de fevereiro, a assistente social Sabrina Ellen Mendonça Pontes, de 29 anos, e o professor de química e estudante de odontologia, Emerson Rocha, de 37, também viajaram de volta a Manaus, após fi “A situação em Manaus está um caos. Fiquei numa área onde estavam 10 pessoas, todas sentadas em cadeiras, pois o hospital já não dispunha de camas para colocar os pacientes. Era muita gente tossindo, pedindo ajuda. Cheguei a ver um senhor de aproximadamente 50 anos agonizando na porta do hospital. Ele levantava a mão pedindo socorro, e o pessoal, ao invés de ajudá-lo, filmava com as câmeras de celulares. Era de cortar o coração”, descreveu o fotógrafo Israel Gato Serrão, minutos antes de receber alta médica do HM.

Já no Hospital Metropolitano de Alagoas, dos oito pacientes recebidos, Thifanny Daniel, Anderson José, Francisca Celane Pereira Souza, Nilvana Cavalcante e Francisco Carlos Silva da Fonseca receberam alta médica. Mas, infelizmente, devido à gravidade do quadro clínico que apresentavam quando chegaram a Alagoas, três deles não resistiram às complicações da Covid-19. As vítimas foram um homem de 36 anos, uma mulher de 36 e um homem de 64.

“Estamos passando por uma situação muito difícil em Manaus. Lá, é tudo muito precário, nós estávamos jogados às moscas, literalmente. Falta gente para trabalhar, falta remédio, faltou até comida um dia. Com a ajuda de Deus, eu pude chegar até aqui! Desde o momento que cheguei, todos me receberam muito bem, me deram banho e eu saí renovada desse banho”, disse Nilvana, após relembrar o que viveu no início de janeiro deste ano.

                                          

Pâmela de Oliveira com assessoria


Postar um comentário

0 Comentários