ARAPIRACA É RESPONSÁVEL POR 67% DA GERAÇÃO DE EMPREGOS EM ALAGOAS

Prefeito Luciano Barbosa visita canteiros de obras em Arapiraca - Foto: Davi Salsa/Assessoria

De janeiro a agosto deste ano, 9.538 empregos formais foram criados no município, segundo Caged


Apesar da pandemia ter trazido sérias consequências econômicas, Arapiraca é o município alagoano que mais gerou empregos nos oito primeiros meses de 2021, de acordo com levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho.

Neste período, 9.538 trabalhadores foram contratados em Arapiraca, número que corresponde a 67% das admissões no mercado formal de Alagoas, que correspondeu a 14.212. Ou seja, a Capital do Agreste superou a geração de empregos até mesmo de Maceió.

As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, referentes aos meses de janeiro a agosto de 2021.

Tanto Arapiraca, como Alagoas tiveram um significativo saldo positivo entre admissões e demissões no período. No Estado houveram 8.756 desligamentos, o que representa um saldo de 5.456 novos postos de trabalho. No município agrestino, esse saldo é de 2.499 novos empregos formais criados, após 7.039 demissões.

Uma das áreas que mais contratou em Arapiraca foi a construção civil e, de acordo com o prefeito Luciano Barbosa (MDB), as obras executadas pelo município impusionaram a geração de empregos na cidade.

“Com as obras que estão acontecendo em toda a cidade, pudemos dar oportunidade de emprego para diversas pessoas. São números consideráveis diante esse momento pandêmico em que vivemos, mas que mostra a força que Arapiraca tem e o quanto ela tem pressa em crescer, em se desenvolver”, destacou.

 

Mais empregos

 

Além da construção civil, o setor de comércio e serviços deve impulsionar a geração de empregos em Arapiraca, segundo previsão da secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rosa Lira. Ela afirma que a aproximação das festividades de fim de ano gera aumento de vagas de trabalho temporário, que posteriomente podem se tornarem definitivas.

“Estamos chegando ao final do ano, e, com isso, muitas empresas, principalmente lojistas, carecem de mão de obra para dar maior fluidez às vendas. Com as ferramentas necessárias, estamos dando à população a preparação necessária para o mercado de trabalho, com cursos disponibilizados na nossa Casa Integrada do Trabalho. Estamos voltando a crescer, o momento está propício para isso”, indicou a secretária.

Por:7 segundos


 

Postar um comentário

0 Comentários