VÍDEO: VELÓRIO DE VEREADOR TEM BRIGA GENERALIZADA E VIÚVA É AGREDIDA

Imagens gravadas por testemunhas mostram que a esteticista Miria Costa Santos Teixeira, de 28 anos, foi agredida


Esteticista diz que teve relacionamento estável por 14 anos com vereador José Nilton Lima de Oliveira, cuja família a expulsou de velório

 

Virou briga generalizada o velório do vereador José Nilton Lima de Oliveira, conhecido como “Doidão”, no plenário da Câmara Municipal do Guarujá, no litoral de São Paulo. A viúva foi agredida por familiares do parlamentar enquanto o corpo era velado nessa quinta-feira (3/3).

Imagens gravadas por testemunhas mostram que a esteticista Miria Costa Santos Teixeira, de 28 anos, foi agredida por pessoas que estavam no velório. Isso teria motivado uma série de empurrões e chutes a amigos da esteticista e a parentes do vereador morto.



 A esteticista diz que foi impedida de participar do velório pelos parentes do vereador. Em boletim de ocorrência obtido pelo Metrópoles, Miria diz que “conviveu maritalmente” em um relacionamento estável com “Doidão” por 14 anos, sem escritura de cartório.

O vereador era presidente da Câmara Municipal do Guarujá até morrer em um acidente de trânsito na tarde da última quarta-feira (2/3). A esteticista diz que um dos filhos do vereador incitou pessoas a agredi-la. Ela também relatou à polícia que foi ofendida no local, com pessoas dizendo “o que essa vagabunda está fazendo aqui”.

 

À polícia, a viúva também disse que o filho do parlamentar fez um gesto “passando a mão pela garganta” e falou:

“Vou acabar com vocês e com sua família”. A briga generalizada teve de ser contida por guardas municipais.

O advogado Valdemir Batista Santana, que defende a esteticista, diz que ela vai exigir que a polícia anexe no inquérito imagens das agressões, para identificar todos os agressores.

“Ela deu entrada no hospital ontem por volta das 19h, onde fez radiografia. Está cheia de hematomas no corpo. Deve fazer exame de corpo de delito entre hoje e amanhã”, afirmou o advogado ao Metrópoles.

De acordo com o advogado, depois das agressões, a esteticista se sentiu impedida de participar do enterro do vereador, que aconteceu nesta sexta-feira (4/3). O defensor alega que a viúva e o vereador tinham reatado o relacionamento, quando ele se envolveu em uma colisão e morreu.

“Eles ficaram uns 10 dias brigados por conta de fofocas. Mas ele era apaixonado por ela e conseguiu reverter a situação. Ela morava com ele desde que ela tinha 14 anos”, afirmou o defensor da esteticista.

A viúva registrou a ocorrência na Delegacia do Guarujá, onde relatou ter sido vítima dos crimes de lesão corporal, calúnia, difamação e ameaça.


Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários