no-style


[VÍDEO] POLÍCIA PEDE AJUDA PARA ENCONTRAR MULHER QUE DIVULGOU VÍDEO FAKE SOBRE CAIXÕES COM PEDRAS EM BH

É #FAKE que desenterraram caixões de vítimas do coronavírus e encontraram apenas pedra e madeira. — Foto: G1
Os responsáveis pela divulgação do vídeo com mensagens falsas podem responder por vários crimes e pegar até nove anos de prisão.



A Polícia Civil fez uma coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (5) para informar sobre o andamento das investigações para tentar encontrar a mulher que divulgou um vídeo falando que caixões onde estariam vítimas do coronavírus foram abertos e estavam cheios de pedras e madeira, em Belo Horizonte. A informação divulgada pela mulher é falsa e ela pode responder por vários crimes.

Os delegados responsáveis pelo caso, Wagner Sales e Rodrigo Damiano, disseram que a origem e a autoria do vídeo seguem sendo investigadas e pediram ajuda à população para encontrar a autora do vídeo. Qualquer pessoa que tenha informações sobre ela pode denunciar, anonimamente, pelo telefone 181. Os delegados também sugeriram que a própria mulher que aparece no vídeo se apresente voluntariamente para se explicar.


De acordo com os delegados, a mulher que aparece no vídeo pode pegar até nove anos de prisão e ainda pagar uma multa. Ela e outros possíveis responsáveis pela divulgação do vídeo nas redes sociais podem responder pelos crimes de calúnia e difamação contra autoridade pública e pela contravenção penal por provocar tumulto ou pânico.

"Ela fala que teriam sido encontrados caixões sem corpos e com pedras, após eventual procedimento de exumação. E esse fato não ocorreu. No vídeo ela cita autoridades públicas, demonstra total desrespeito à sociedade e sobretudo às famílias das vítimas do coronavírus, sugere inclusive que elas estariam fazendo o sepultamento de seus entes queridos. Isso também não aconteceu", disse o delegado Wagner Sales.

Os delegados também alertaram que a criação e divulgação de "fake news" (notícias falsas) têm consequências graves no mundo inteiro e continuarão a ser investigadas pelas autoridades.

A Polícia Civil, com a investigação e combate a essas "fake news", quer alertar que esse tipo de conduta pode trazer repercussões muito graves tanto na esfera criminal quanto na esfera cível. A análise do vídeo nos traz, num primeiro momento, a possibilidade da prática do crime de denunciação caluniosa, difamação de autoridade pública, através de meio em que propagação é maior, e também a contravenção penal de provocação de tumulto ou pânico", afirmou o delegado Wagner Sales.

Por:G1


Postar um comentário

0 Comentários